Empresas brasileiras encaram a digitalização como um desafio

Tribute_to_September_11,_New_York_City[1]

Quase todas (96%) empresas brasileiras enfrentam muita turbulência durante o processo de migrar seus negócios para um contexto digital. O percentual verificado no Brasil ficou acima da média global (87%), constatou uma pesquisa realizada pela fornecedora de software Bizagi.

O levantamento considerou respostas com 1 mil profissionais de TI ou responsáveis pela experiência do cliente. O estudo identificou que 83% do universo pesquisado no Brasil (contra 73% do mundo) acredita que a não atualização das estruturas para esse novo contexto deve reduzir significativamente a competitividade de suas organizações.

Porém, fatores como a velocidade para implementar as mudanças e a complexidade dos processo corporativos representam obstáculos para a maioria das empresas que vislumbram este processo de transformação.

No mundo inteiro, apenas uma em cada três empresas (32%) reportam projetos de transformação digital em andamento. Os Estados Unidos e o Canadá lideram a tendência com 52% das empresas implementando novos projetos digitais, seguidos na América Latina pelo Brasil (39%), México (27%) e a Colômbia (20%).

O estudo revelou que 75% dos entrevistados acreditam que o ritmo de mudança está aumentando, uma reação aos negócios inovadores que estão alterando o cenário empresarial, com a grande maioria (82%) opinando que é importante acelerar a velocidade de transformação para acompanhar a evolução do seu setor.

Incerteza

O relatório pontua que a transformação apresenta vários riscos e benefícios. Seis em cada 10 empresas (60%) dizem que a agilidade operacional é um fator crítico, embora mais da metade (54%) também mencionaram a necessidade de responder á evolução das expectativas de seus clientes.

Quatro em cada cinco entrevistados (80%) acreditam que é essencial aprimorar a experiência de seus clientes, além de conhecer suas necessidades imediatas e situação individual. O cliente é ainda mais importante para as companhias com a transformação digital já em curso, onde 79% citam a evolução das expectativas de seus clientes como fator chave para a transformação.

“A expectativa do cliente está transformando o pensamento empresarial e motivando a transformação digital”, disse Juan Manuel Mogollon, vice-presidente da Bizagi para a América Latina. “A maioria das empresas está lutando para contornar os desafios que acompanham a transformação digital, e o segredo é conhecer os fatores por trás dessa mudança e criar a agilidade necessária para responder rapidamente”.
Segundo o executivo, as organizações precisam equilibrar suas ideias, colaboração e a tecnologia para superar os obstáculos e criar um exército de pioneiros capazes de promover esta mudança, ajudando-as a colher os frutos da digitalização.

Armadilha da agilidade

Os principais obstáculos para as empresas em busca de uma transformação digital rápida estão relacionados à cultura corporativa, à complexidade organizacional, a falta de processos que viabilizam a participação, a colaboração dos funcionários e a inovação.

Esses desafios são descritos pela Bizagi como as “armadilhas para a agilidade”, que surgem quando uma empresa quer uma transformação digital rápida, mas se vê limitada pela complexidade comercial, organizacional ou tecnológica.

O maior risco para qualquer companhia é a falta de preparação na hora de implementar um projeto de transformação digital; 70% dos entrevistados afirmam que o trabalho de transformação sofre pela complexidade de seus processos internos. No Brasil, 68% dos entrevistados reforçaram esta afirmação.

Apesar da importância dos projetos de transformação digital, quanto mais rápido os negócios evoluem, maior serão os obstáculos à serem enfrentados. Por isso, as companhias caem em armadilhas como:

Falta de planejamento: Muitas empresas pecam pela falta de mapeamento da complexidade dos seus sistemas e processos de negócio antes de iniciar a implementação. Praticamente dois terços (63%) acreditam que desconhecem as implicações dessas mudanças para seus negócios, uma vez que a transformação inclui serviços de engajamento e experiências para o usuário.

Resistência a mudanças: Mais de 51% dos respondentes afirmaram que falta de disposição e resistência à mudança é um grande limitador do processo de transformação digital em suas companhias.

Sistemas engessados: Apenas 28% dos entrevistados acreditam que seus sistemas de atendimento ao cliente são ágeis, 26% reportam sistemas internos muito ágeis e apenas 21% colocam seus sistemas operacionais na mesma categoria.

Fonte: http://beta.computerworld.com.br/90-das-empresas-brasileiras-classificam-digitalizacao-como-desafio